Pesquisa Geral

OK

Acesso Rápido

Aceda diretamente à informação que lhe interessa.

 

Ecocardiograma transesofágico (ETE)


Neste exame uma sonda longa, idêntica às sondas para realização de exames ao estômago (endoscópio), contendo na extremidade um transdutor de ultra-sons, é guiada através da boca e orofaringe até ao esófago.


 

Comentários Iniciais

Neste exame uma sonda longa, idêntica às sondas para realização de exames ao estômago (endoscópio), contendo na extremidade um transdutor de ultra-sons, é guiada através da boca e orofaringe até ao esófago. Como o esófago no seu trajecto torácico se encontra encostado ao coração, é possível assim obter imagens de elevada clareza do coração, particularmente das estruturas cardíacas mais posteriores.

 

Pode ocorrer ligeira dor de garganta nas primeiras horas após o exame, mas que desaparece rapidamente. Durante o exame são monitorizados o electrocardiograma e o nível de oxigenação (através de um saturometro capilar colocado num dedo) dada a utilização rotineira de sedação endovenosa.  

 

Preparação

Quando marcar o exame, mesmo por telefone uma Enfermeira ou Técnica da Unidade Cardiovascular, fará um pequeno questionário e explicará a preparação.

 

         O exame não poderá ser realizado em algumas circunstâncias:

 

a)     Se estiver a tomar Varfine ou Sintrom e o INR for superior a 4

b)     Se tiver doença conhecida da orofaringe (amigadlite aguda; faringite crónica; diverticulo do esófago ou marcada dilatação do esófago conhecida por acalásia

c)      Se tiver sido submetido a radioterapia torácica e não houver endoscopia alta que exclua aperto do esófago

d)     Se tiver varizes esofágicas e história de hemorragia recente

  • Não pode nem beber nem comer até 6 horas antes do exame . Pode tomar a medicação com um muito pequeno gole de água
  • Se for diabético com medicação para controle do açúcar, nesse dia até fazer o exame não toma a medicação habitual. Caso tenha dúvidas deve perguntar ao seu médico assistente.
  • Deve vir sempre acompanhado para este exame uma vez que é administrada medicação endovenosa sedante. A sedação induzida por esta medicação pode dar sonolência e tonturas, o que impede a utilização de máquinas nomeadamente do automóvel. Portanto não deve conduzir após o exame e até ao dia seguinte.

 

Durante Exame
Imediatamente antes do exame o medico cardiologista que o vai realizar ou a enfermeira, explicarão o procedimento com detalhe e o que é esperado como colaboração do paciente.  
  • É colocada uma via endovenosa num dos braços de forma a ser possível administrar a sedação ou medicação, se necessária.
  • Durante o exame vai ter várias monitorizações:
    • Electrocardiograma (ECG): três eléctrodos serão colocados no tórax e ligados ao ecocardiografo para obter uma linha de ECG contínua no monitor
    • Monitor de tensão arterial: habitualmente colocado no braço que não tem via ou num dos membros inferiores, para monitorização intermitente da tensão arterial.
    • Oximetro: um pequeno clip é colocado num dos dedos das mãos para obter a quantificação contínua da oxigenação sanguínea.  
  • Habitualmente é colocado um spray anestésico local na garganta, a menos que haja história de alergia aos anestésicos locais. Sentirá a garganta anestesiada quase de imediato.
  • Será colocado um bucal entre os dentes para proteger a sonda.
  • É então administrada a sedação endovenosa, sendo então previsível sensação de sonolência.
  • Caso sinta algum desconforto deve avisar o medico ou e enfermeira.
  • Ficará sempre deitado sobre o seu lado esquerdo.
  • Se for necessário poderá ser usada uma pequena sonda de aspiração de secreções na boca, durante o exame, como é habitual acontecer no dentista, para remover saliva excessiva.
  • O cardiologista introduzirá a sonda na boca até à orofaringe e pedirá para deglutir o que permitirá colocar a extremidade da sonda no esófago. A parte da passagem da garganta é sempre a mais desconfortável mas dura apenas alguns segundos.
  • A sonda não interfere com a respiração e o paciente pode durante todo o exame respirar pelo nariz, boca ou ambos.
  • Uma vez a sonda posicionada no local do esófago onde as imagens sejam de boa qualidade, será muito pouco mobilizada, dada a existência de um botão electrónico de controle do transdutor. Serão colhidas imagens em vários ângulos de todas as estruturas do coração.
  • Durante o exame pode não se dar conta do mesmo dado o efeito da sedação.
  • O exame demora no total cerca de 45 minutos, tendo em conta a preparação. O tempo de aquisição das imagens com a sonda dentro do esófago não demora mais do que 20minutos.  

 

Após o ETE:

 

  • Após o exame poderá ser necessário reverter a acção da sedação se estiver muito adormecido, mas habitualmente a recuperação é imediata e espontânea.
  • Ficará ainda outros 45-50minutos na nossa Unidade Cardiovascular, de onde terá alta para o seu domicílio.
  • Não deverá ir trabalhar, nem conduzir o automóvel mesmo que ache estar no seu estado normal habitual.  
  • Deve esperar até cerca de 1 hora após o exame para beber ou comer. Deve começar por beber água e caso não se engasgue, então poderá retomar a alimentação normal.
  • O seu exame será gravado em DVD (MPEG) podendo ser visualizado em qualquer computador PC. Este DVD acompanhará um relatório para o seu médico assistente.  

 

Comentários Finais
Porque pede o seu médico um ETE?

 

Sempre que o ecocardiograma torácico não seja informativo ou deixe dúvidas importantes, no contexto de:

 

  • Um AVC: para procurar possíveis causas cardíacas para embolia cerebral  como trombos intracardíacos, infecção das válvulas, placas de ateroma na aorta ou comunicações entre o lado direito e o esquerdo do coração.
  • Prótese valvular cardíaca: para avaliar possíveis disfunções da prótese.
  • Febre arrastada e há suspeita de infecção de alguma das válvulas cardíacas.
  • Uma arritmia (fibrilhação auricular ou flutter auricular) e necessita de fazer conversão eléctrica da arritmia (cardioversão) e ainda não tem tempo suficiente de anticoagulação ou se tem que ser submetido a um tratamento mais definitivo da arritmia (ablação).

Outras unidades hospitalares do grupo HPP

Conheça os nossos hospitais.

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no LinkedIn Siga-nos no Youtube